sábado, 16 de julho de 2011

Por enquanto...

Por tentar fazer tudo certo é que eu faço mesmo tudo errado. E fico com essa sensação que podia ser diferente, e que esse "por enquanto" se repete por vezes demais. O que torna tudo mais complicado do que sempre é.Com fantasmas de tantos "e se" que me assombram todas as vezes em que penso em nós.
Dessa vez, então, preferi ficar em silêncio, um silêncio de palavras que gritavam dentro de mim, mas elas teriam estragado tudo mesmo.
E foi quando tive ainda mais certeza que sempre foi algo mais que provisório, a complexidade vai além. São como pequenas doses de felicidade...
Mas é mesmo muito mais do que eu mereça? Não sei dizer.
Provavelmente seja muito mais do que eu possa oferecer... Uma sombra, uma ideia, só. As pessoas que agente inventa são sempre melhores que as reais. E com tão pouco tempo não dá pra destruir uma imagem...
Acontece tudo tão depressa, tão rápido, e de repente, fim!
A consciência do efêmero faz com que agente viva o mais intensamente, e que sempre faça o melhor, da melhor forma. A consciência do final faz com que o ser humano se empenhe ao máximo no durante.
O que pode ser o segredo para que tudo seja tão bom, quando é pouco, raro, passageiro... ou quando é livre!
Algumas coisas só tem valor quando acabam, ou quando não se pode mais ter...
A vida não tem replay.

3 comentários:

  1. Edmilson Oliveira16 de julho de 2011 17:50

    Arrepiei... Já linkei aqui como favorito! rsrs

    ResponderExcluir
  2. "As pessoas que agente inventa são sempre melhores que as reais",concordo plenamente com isso,pena que muitas das vezes a gente só descubra isso depois do total envolvimento.
    Boa semana pra vc!=)

    ResponderExcluir
  3. =D Obrigada gente! Ótima semana pra vcs =D

    ResponderExcluir