terça-feira, 12 de abril de 2011

Dias nublados

Começou com uma dorzinha chata que ele foi levando, levando, reclamando...
Até que um dia, decidiu ir ao médico. E foi nesse ponto que a luta começou. De cara fez uma cirurgia, depois, uns remédios aqui outros acolá, e eis que veio a quimio, hospitais, internações...
Ele foi forte! Muito! Mas a doença parecia ganhar, e ele foi definhando. Emagrecendo devagar.
Quando as coisas ficaram piores, passou a ficar mais em casa. Época em plantou uma muda de uma tal flor no jardim, e que vigiava se ia desabrochar todas as manhãs. Ele dizia que queria descobrir a cor (comprou a muda mas não se lembrava do que o vendedor tinha dito). Mas os brotinhos sempre caiam no chão antes de se abrir.

Lembro-me, do dia em que sentamos à mesa juntos, pela última vez. Ele estava tão magrinho que vi seus olhos azuis cinzentos saltarem do rosto. Eu olhei para ele triste, mas seus olhos estavam serenos. Ele comia conosco a sua sopinha rala (único alimento "sólido" que ele ainda podia comer), dizendo que estava ótima (mas não devia estar)..

O tempo foi passando... Ele era forte, e resistiu muito, lutou até demais... mas um dia, descansou.

E, coincidência ou não, foi esse o único dia em que vi aquela flor se abrir, um só botão... Mas ele não estava mais lá para ver. Fiquei triste, queria contar a ele que ela era branca. Chorei. Mas mãe disse para não fazê-lo, que ele estava vendo a flor lá do céu... "Será? Tomara!" pensei.

E foi ae que eu olhei pro céu, e vi o dia mais cinzento azulado que já vi. Um céu da cor dos olhos dele...

Isso foi há muitos anos.. Mas das coisas que jamais esquecerei estão: aquela flor, aquele céu e aqueles olhos. Ou melhor, aquela flor sob aqueles olhos cor de céu.

E é por isso que eu amo tanto os dias nublados. Porque me lembram você. Quando finjo que o céu são seus olhos, e aceno pra cima e sorrio... Porque quero que quando meu dia chegar; os meus olhos, apesar de castanhos, também transmitam que a minha vida valeu a pena!
Um céu, cinza azulado como seus olhos... Um olhar, cinza, azul de céu.
Já fazem anos, mas ainda sinto sua falta. E ainda vejo seus olhos em todos os dias nublados...

Um comentário:

  1. oie Suéllen adorei seu blog também,já estou seguindo bjos

    ResponderExcluir